Consulta Popular organiza 5ª Assembleia Nacional 'Zilda Xavier'

 

Principal contribuição do espaço é a retomada de um debate estratégico para a esquerda e um Projeto Popular em um contexto de crise da nação 

por Comunicação 5ª Assembleia

 

Na data em que completa 20 anos, a organização Consulta Popular realiza sua 5ª Assembleia Nacional Zilda Xavier, entre 13 e 17 de novembro.

Seguindo o princípio de assembleias e plenárias anteriores, a organização homenageia uma lutadora/lutador do povo. Nesta Assembleia a homenageada é a militante Zilda Pereira Xavier, falecida no ano de 2015, uma das principais militantes da Ação Libertadora Nacional (ALN), na resistência contra a ditadura militar.

A Assembleia reunirá mais de 800 militantes, que atuam em diversos movimentos populares, vindos de mais de 20 estados do Brasil para analisar a situação política do país, retomar o debate estratégico entre as forças de esquerda, com ênfase na construção da Frente Brasil Popular.

O espaço contará com a presença de convidados de diversas organizações e partidos de esquerda. No dia 13 (segunda), haverá um ato político que contará com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O espaço dos cinco dias de assembleia será a oportunidade de realizar o balanço da trajetória da organização política, assim como renovar o compromisso com a unidade das forças populares.

Contexto de golpe e desmonte do Estado

 A 5ª Assembleia da Consulta Popular ocorre num contexto de golpe contra a democracia e a soberania nacional.

Em meio a uma profunda crise econômica, direitos e conquistas populares estão sendo retirados rapidamente pela ofensiva das forças neoliberais.

“Estamos diante de uma crise de destino. Estamos vivendo um desmonte sem precedentes da soberania, do Estado, das conquistas democráticas e dos nossos direitos. Apontar uma proposta transformadora, revolucionária para a sociedade, é algo fundamental”, comenta Ricardo Gebrim, da direção nacional da Consulta Popular.

Diante deste cenário, a esquerda brasileira gradativamente retoma o debate estratégico e recoloca a necessidade de um projeto democrático, popular, anti-imperialista e socialista que restabeleça a soberania nacional, a democracia e apresente uma alternativa para a classe trabalhadora diante da crise brasileira.

“É essa energia de quem não se retira da luta que é fundamental. A presença de todos os lutadores e lutadoras do povo é o caminho da mudança, de reestruturação de futuro do país”, Paula Adissi, também da direção nacional da Consulta Popular e responsável pela equipe de mística da assembleia.

Surgimento e sentido

A Consulta Popular é uma organização política surge 1997, impulsionada pelos movimentos sociais, especialmente o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Nossa proposta principal é contribuir na construção de um Projeto Popular para o Brasil. A organização defende, por meio do trabalho de base e do exemplo pedagógico, que o povo brasileiro deve construir um projeto que organize o uso de sua capacidade criativa e produtiva, definindo também os rumos do país.

O Projeto Popular para o Brasil, nesse sentido, é a força social organizada do povo brasileiro lutando para executar seu programa político de mudanças estruturais na sociedade.

“O Brasil vivia uma crise de destino desde aquele momento (1997). Ou seja, as possiblidades de construção da nação brasileira e de afirmação do povo brasileiro na História estavam sendo colocadas em xeque pelo imperialismo estadunidense e pela burguesia a ele associada. Era necessário discutir um novo projeto de país”, descreve Eduardo Mara, militante da direção nacional da organização.

Para ele, o sentido inicial da organização estava ainda embrionário nos anos 1990. Porém com a atual ofensiva contra os direitos da população, a contradição fica mais acirrada.

“Aquela crise de destino anunciada em 1997 está chegando a um termo muito perigoso, porque nossos inimigos agora, o imperialismo e a burguesia brasileira, querem dar um desfecho para aquela crise. Por isso nossa 5ª Assembleia é tão importante, é fundamental renovar o ânimo de luta para construir uma nação para o povo brasileiro e para a classe trabalhadora”, aponta.