EM DEFESA DA PAZ E DA SOBERANIA NA VENEZUELA

Em todos os momentos que os povos latino-americanos tentaram controlar os destinos de suas nações, sofreram forte agressão do imperialismo.
É o que estamos assistindo na Venezuela, com mais uma tentativa de golpe de estado naquele país. Trata-se de  uma agressão à democracia e a soberania popular orquestrada pela oposição, com apoio do imperialismo estadunidense e seus aliados. 
A tentativa em curso de destituir o governo legitimamente eleito de Nicolás Maduro é parte da ofensiva dos EUA na América Latina. É preciso ressaltar que além de buscarem a restauração neoliberal, objetivam apropriar-se das maiores reservas de petróleo do mundo que estão na Venezuela.
Desta vez tentam instituir um governo paralelo, ilegítimo e subordinado aos interesses dos EUA. 
Além do aprofundamento da guerra econômica patrocinada pelos EUA que tem por objetivo bloquear o desenvolvimento nacional, o imperialismo ameaça intervir militarmente para derrotar a revolução bolivariana.
Estamos diante de mais uma agressão ao princípio internacional da autodeterminação dos povos e de uma grave ameaça a paz na América Latina.
É incontestável que a bandeira da paz pertence as forças populares e ao governo de Nicolás Maduro. Já os EUA e seus aliados tentam o golpe e ameaçam concretizar uma agressão militar.
O alinhamento da desastrada política externa brasileira com os interesses dos EUA é produto do golpe de novo tipo que nossa democracia foi vítima. O rompimento com a nossa tradição diplomática de defesa do diálogo, da paz e da autodeterminação dos povos coloca em risco o próprio povo brasileiro.
É fundamental que seja restaurada nossa tradição diplomática. É inaceitável que o governo Bolsonaro cogite qualquer possibilidade das forças armadas se envolverem numa guerra de agressão contra a Venezuela.
A Consulta Popular se solidariza com o povo venezuelano, com a democracia e o governo Nicolás Maduro. A revolução bolivariana possui fortes raízes com a tradição de luta antiimperialista do povo latino americano e conta com a memória histórica de heróis da pátria como Francisco de Miranda, Simon Bolívar e Hugo Chávez que certamente inspiram a resistência popular.
Pátria Livre!
Venceremos!

Consulta Popular, 24 de Janeiro de 2019