Nota de Solidariedade da Consulta Popular à Greve de Fome pela Libertação e pelo Direito de Lula se candidatar

Uma greve de fome é um ato extremo. Ninguém se propõe ao sofrimento de ficar sem se alimentar por dias sem convicção, firmeza e um compromisso muito forte com o momento politico que o país atravessa.

A Consulta Popular manifesta apoio aos seis lutadores do povo que entraram em greve de fome em frente ao Supremo Tribunal Federal – STF pela libertação do Lula e pelo direito do povo votar no candidato que represente suas aspirações democráticas. A ação faz parte da Jornada nacional de lutas pela democracia.

Temos orgulho de termos nas fileiras da luta do povo os companheiros: Jaime Amorim (Pernambuco), Luiz Gonzaga Silva, o Gegê (São Paulo), Rafaela Alves (Sergipe), frei Sérgio Antonio Görgen (Rio Grande do Sul), Vilmar Pacífico (Paraná) e Zonália Santos (Rondônia).

O ato dos grevistas é uma ação que resgata, por seu método e radicalidade, os valores que todos os brasileiros e brasileiras esperam da prática política no país: coragem para defender convicções e lutar por um Projeto Popular para o Brasil.

A libertação de Lula e a garantia de sua candidatura à Presidência dividem o país entre aqueles que têm compromisso profundo com a democracia e aqueles que usam o Judiciário para aprofundar o golpe contra o povo e a Nação.

Lula é vítima de uma perseguição implacável, que tem como protagonistas setores do Poder Judiciário que não respeitam a presunção de inocência e a Rede Globo que não admite eleições livres e democráticas.

A greve de fome destes lutadores do povo não será em vão. Os poderes da República não têm legitimidade junto ao povo para impedir a candidatura do maior líder popular do Brasil que lidera todas as pesquisas.

Consideramos a greve de fome como parte da luta contra o golpe, pela libertação de Lula e em defesa do seu direito de ser candidato. A candidatura de Lula combinada com a luta popular é fundamental para que possamos derrotar os golpistas, restaurar a democracia e reverter as reformas neoliberais.

 

Pátria livre, venceremos!

Consulta Popular

01 de agosto de 2018